segunda-feira, 16 de maio de 2016

A ausência de dados sobre interseccionalidade de raça e gênero dos CACS-Fundeb Municipais.


Resumo

Jesse Rodrigues Ferreira[1]
                                                                                                            Universidade de Brasília, Brasil 
Trata-se de uma pesquisa que busca investigar se existem dados que possibilitem a identificação da interseccionalidade de raça e gênero na composição dos CACS-Fundeb municipais. Utilizando o método histórico dialético como lente de percepção da realidade estudada e a unidade dos contrários como categoria de análise do método, bem como a interseccionalidade como categoria do campo. Foram estudados os dados existentes no sistema, de acesso público, do CACS-Fundeb disponibilizado na internet pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Foi constatado a total ausência de dados sobre raça, e a informação de gênero restringe-se ao nome da conselheira ou conselheiro, sendo sugerido um conjunto de providências que evitem as repercussões apontadas na conclusão.


Palavras-chave: controle social, interseccionalidade, gênero e raça.

 [1] Mestre em Educação - Universidade de Brasília (UnB). Pedagogo (UECE), bacharel em direito (UDF), Especialista em Gestão Pública (UnB), Especialista em Gestão de Políticas Públicas de Gênero e Raça (UnB), Especialista em Direito Tributário (Uniseb). Servidor público federal, no cargo de Especialista em Financiamento de Programas e Projetos Educacionais, do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) cedido à Secretaria de Gestão Pública – SEGEP/MPOG, Advogado (OAB DF) www.oadvogado.adv.br .

Artigo de conclusão de Curso de Especialização em Gestão de Políticas Públicas em Gênero e Raça, Universidade de Brasília, 2014.
Disponível em: Biblioteca UnB

Nenhum comentário:

Postar um comentário