Jesse

Jesse

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

As desventuras em série do esquerdismo no Brasil: sanguessugas.


Advertência:
Caro Leitor,

Se você ainda não leu nada sobre os órfãos Bonsbrasileiros, é preciso que antes mesmo de começar a primeira frase deste episódio fique sabendo o seguinte: Violada, Olavo e Sandy são legais e superinteligentes, mas a vida deles, lamento dizer, está repleta de má sorte e infelicidade.

Se você não tem estômago para engolir uma história que inclui sanguessugas famintas, pantofobia individual e coletiva, um horrendo vilão e uma boneca de ventrículo macabra, é provável que se desespere ao ler este episódio.

Continuarei a registrar essas histórias trágicas, pois é o que sei fazer. Cabe a você, no entanto, decidir se verdadeiramente será capaz de suportar esta história de horrores.

Respeitosamente,
Jesse Rodrigues.

EPISÓDIO 3 – SANGUESSUGAS

No episódio 2 mostrei como o Brasil tornou-se uma sala de répteis e como os Bonsbrasileiros estão sendo envenenados por cobras venenosas. Mostrei ainda como a artimanha dessas cobras hipnotizam as pessoas com o sibilar de suas línguas bífidas, dizendo uma coisa e fazendo o contrário.

Depois de 17 anos que os Bonsbrasileiros foram declarados órfãos, o vilão Idéia, ainda com o nome de Molusco assumiu oficialmente a posse dos bonsbrasileiros. Depois de 08 anos sob o seu domínio, ele repassou a governança oficial para uma espécie de boneca de ventrículo macabra que profere frases como:

“o dia da criança é dia da mãe, do pai e das professoras, mas também é o dia dos animais”

"A autossuficiência do Brasil sempre foi insuficiente."

"Eu tô aqui saudando a mandioca. Acho [a mandioca] uma das maiores conquistas do Brasil"

"A mulher abre o negócio, tem seus filhos, cria os filhos e se sustenta, tudo isso abrindo o negócio."

Um boneco de ventrículo, como todos sabem, é um boneco, alguns de madeira. Existe boneco de madeira que quando mente cresce o nariz, mas não são todos assim que crescem o nariz. Um boneco de ventrículo, não tem pensamento próprio, apenas sua boca é movimentada enquanto o verdadeiro dono da voz fala de forma esquisita, assim é com todos os candidatos comunistas, se você esquecer a pessoa, por exemplo, fechando seus olhos e ouvindo só a voz dos candidatos você vai perceber que os que têm agenda comunista falam de forma muito parecida.

“Acima do limiar de consciência, um dos meios mais eficientes da persuasão não-racional é o que se pode denominar persuasão “por associação”. O propagandista associa caprichosamente o seu produto selecionado, ou o seu candidato ou a sua causa com uma ideia, uma imagem de uma pessoa ou de uma coisa, que muita gente, de uma determinada cultura, considera, com razão um bem.” (HUXLEY, 1959, p.78)


Pois bem, mesmo assim uma boneca de ventrículo esteve no comando da governança dos bonsbrasileiros por 4 anos, e aí as pessoas foram percebendo que havia algo de errado, dessa vez o mau feito foi tanto que a economia dos bonsbrasileiros chegou a um nível insuportável, e deram um jeito de tirar logo essa boneca macabra antes que o país virasse uma Venezuela comunista, e aguentamos ainda por mais 1 ano e meio, embora a troca tenha sido de seis por meia dúzia, pois o substituto é da mesma gandaia, mas diante de tanto desmando deram um freio de arrumação enquanto os bonsbrasileiros têm que esperar os prazos legais para decidir quem vai ser o novo tutor, o que será muito difícil de se fazer uma boa escolha, diante de um imenso caos e de um grau de manipulação da informação maior do que nunca.

A confusão é que antes era mais fácil separar o joio do trigo.

Mas o joio aperfeiçoou-se para não ser detectado.

Hoje temos na eleição:

 O joio perverso – comunistas : Lula (Haddad-Manuela) PT e Partido Comunista; Boulos  do PSOL e Partido Comunista do Brasil.

O joio péssimo – socialistas (comunistas camuflados): Marina do Partido Rede/PV; Ciro do PDT e Avante (Ex-Partido Socialista Agrário).

O joio ruim – sociais-democratas (socialistas camuflados): Alckmin do PSDB e PPS (Antigo Partido Comunista) e outros partidos; Meireles do MDB (suporte do PSDB e do PT até hoje).

Percebe-se que as cobras têm muitas camadas de pele, a questão é que qualquer um desses que ganhe os outros tipos de joio são integrados ao governo, só difere a cabeça, a cobra é a mesma.

Além desse caos proposital na política, o caos proposital também é espalhado em todos os níveis da sociedade, os órfãos bonsbrasileiros não conseguem deixar de pensar como a população que tem tanto medo do caos suporta viver num país que parece prestes a se lançar nas profundezas do baixo astral, e ainda tem uma parcela que está hipnotizada pela cobra comunista e suas camadas de joio.

Essa pantofobia, esse medo de tudo, e que hoje parece que todos tem medo de tudo e de todos, é obra dessa cobra de camadas de joio que governa esse país desde que os militares saíram do governo.

Vejamos algumas medidas tomadas pelos governos dessa cobra de camadas de joio:

* Normas Técnicas do Aborto assinadas pelos ex-ministros da saúde José Serra (PSDB) e Humberto Costa (PT);

* A portaria 1508, editada em 1º de setembro de 2005 pelo ex-ministro Saraiva Felipe (governo do PT), oficializou a prática do aborto no SUS;

 * Hipertrofia estatal com a criação de vários ministérios e agências reguladoras com a função de impedir a livre concorrência e praticar o tabelamento de preços e tarifas (PSDB);

* Ampliação da imputação de racismo para “etnia, religião ou procedência nacional” -  PSDB (Lei nº 9.459, de 15/05/97);

* Pensão para terroristas;

 * LDB (projeto Darcy/MEC) e Parâmetros Curriculares Nacionais;

 * Doutrinação marxista, pornografia e palavras de baixo calão em obras aprovadas pelo MEC para as escolas públicas;

* Descriminalização do uso de drogas (Nova Lei de Tóxicos);

* Penas alternativas para pequenos traficantes;

* Redefinição de família, criminalização da autoridade paterna e das relações familiares (Lei Maria da Penha);

* Glamourização do homossexualismo nas escolas públicas;

* Concessões agrárias aos terroristas do MST;

* Abertura das fronteiras brasileiras para o tráfico de drogas e de armas;

* Leis ambientais desproporcionais e agressivas;

 * Crescimento da indústria das multas de trânsito;
* Financiamento público de paradas gays;
* Portaria do Ministério da Saúde para mutilações genitais;
* Destruição de embriões (Lei da Biossegurança);
 * Tratados de Direitos Humanos com status constitucional (EC nº 45/2004);
 * Loteamento político em cargos de comissão. Até membros das FARC foram lotados em gabinetes dos governos do PT;

* União civil homossexual;

* Autorização das “Marchas da Maconha”;

* Lei que transforma em crime o poder do pai e da mãe de disciplinar os filhos fisicamente;
* Legalização da pedofilia: STJ decidiu que atos sexuais com menores de 14 anos podem não ser caracterizados como estupro, de acordo com o caso.

 * Estatuto do desarmamento;


Todas essas medidas são procedimentos típicos para acelerar a divisão social e aumentar a sensação de caos, decadência moral e violência.

No exemplo da violência, ocorre por meio de uma das técnicas  comunistas mais usadas: a técnica das duas tesouras, utilizadas em várias áreas, na questão da violência uma tesoura protege o crime organizado a outra desmobiliza as polícias (disfarçados em curso de “direitos humanos”) e ao mesmo tempo desarma a população.

Só um candidato faz corretamente a leitura dessa conjuntura, no Plano de Governo do candidato Bolsonaro (Plano Fênix) é feita uma relação entre os governos da cobra da camada de joio perverso com o aumento da criminalidade:


Esse procedimento de desarmar a população é utilizado pelos governos da cobra de muitas camadas desde sempre, Hitler desarmou os alemães (Hitler e o desarmamento), Chávez desarmou os venezuelanos (Reinaldo Azevedo dala sobre armas e só há duas opções: ou é ignorante ou é mentiroso!), os Turcos desarmaram os armênios, Mao Tsé-Tung desarmou os chineses, Lênin desarmou os russos (Desarmamento e genocídios) está tudo aí, é história, mas em nossas escolas só se aprende a adorar o grande Líder Idéia, a cobra de camadas de joio.

Os órfãos bonsbrasileiros leram o texto de Marko Kloss e concordaram:

“Quem advoga pelo banimento das armas de fogo opta automaticamente pelo governo do Jovem, do Forte e dos em maior número, e isso é o exato oposto de uma sociedade civilizada. Um marginal, mesmo armado, só consegue ser bem sucedido em uma sociedade onde o Estado lhe garantiu o monopólio da força. (...)

O fato de que as armas aumentam a letalidade dos confrontos só funciona em favor do defensor mais fraco, não do atacante mais forte. Se ambos estão armados, o campo está nivelado.

A arma de fogo é o único instrumento que é igualmente letal nas mãos de um octogenário quanto de um halterofilista.” (KLOSS, 2007. A arma é civilização.).

E concluem os órfãos: “Faz muito tempo que nada em nossas vidas tem sabor de justiça.” (LEMONY, 2001).

Os órfãos Bonsbrasileiros se entreolharam com sorrisos amargos.

OLAVO TEM RAZÃO. (Olavodeca)

Não era justo que seus protetores naturais, os militares, tivessem sido arrebatados deles antes que alcançassem a maioridade civilizacional, onde cada bom brasileiro tivesse a oportunidade de acesso ao conhecimento universal e não apenas a versão que os propagandistas e professores seguidores da cobra de camadas de joio fornecem na mídia e no ensino do país.

Não era justo que o perverso e revoltante Líder Idéia, com suas sanguessugas e cobras de camadas de joio, os perseguisse aonde quer que fossem, movido unicamente pelo interesse na fortuna de seu país.

“Esquedopatas” balbuciou Sandy, em sua língua esquisita de bebê, que pode ter querido dizer algo como: - “O que são essas sanguessugas?”.

- Sanguessugas, explicou Olavo,  - são algo assim como vermes. São cegas, vivem em meios aquáticos, e para se alimentar, grudam-se na pessoa e sugam seu sangue.

_ As sanguessugas deste país, disse Violada,  - são muito diferentes das sanguessugas comuns.

- É verdade, aqui são sanguessugas humanas, ou melhor,  desumanas que se infiltraram em todas as instituições brasileiras. Se você não fala o politicamente correto, as sanguessugas sentem o cheiro do bem, conservado, em você, e atacam, explicou Olavo.

_ Bem conservado? Indagou Violada.

_ Sim, uma pessoa conservadora, é alguém que conserva as melhores coisas da sua vida, e das tradições da civilização que deram certo. Seus valores de família, a caridade de iniciativa da comunidade (não do governo), os simbolismos do discurso poético da sua religião, a iniciativa de querer ser um empreendedor honesto que faz um grande país desenvolver-se, a segurança de ser proprietário da sua própria casa e a segurança de poder se autodefender de malfeitores que queiram tomar seus bens e propriedade de você. Explicou Olavo.

- Lulopetistas! – Soltou Sandy, com sua linguagem inexplicável, que talvez quisesse dizer: Eu tenho medo de sanguessugas!

E continuou Olavo com a firmeza de quem passou muito tempo estudando, em muitos livros, esse assunto: - Essas sanguessugas “desumanas” metem medo mesmo. Além desse medo, o aumento da criminalidade, a proteção a quem comete crimes e o desamparo do cidadão honesto, juntos com outras situações promovidas pelas cobras de camadas de joio, formam esse medo de tudo e de todos.

E continuou Olavo, já que viu que suas irmãs estavam atentas em suas palavras:

 - Há dois tipos de medo: racional e irracional — ou, em termos mais simples, medos que têm sentido e medos que não têm sentido. Por exemplo, o medo que nós órfãos Bonsbrasileiros sentimos do Líder Idéia tem todo o sentido, porque ele é um homem perverso que quer destruir nosso país.

O medo dos Bonsbrasileiros era que a desgraça não tardaria a atingi-los, de novo.

Os Bonsbrasileiros haviam passado por tantas coisas terríveis que parecia racional pensar que outra catástrofe estava a caminho, as eleições de 2018 com os candidatos da cobra de camadas de joio divididos nos 6 candidatos que fingem serem diferentes uns dos outros: Marina, Alckmin, Haddad, Ciro, Meireles e Boulos.

Os órfãos Bonsbrasileiros não conseguiam deixar de desejar que seus protetores naturais voltassem, de alguma forma, a governar esse país e livrá-los do comunismo das cobras de camadas de joio.

E ficavam pensando como as cobras de camadas de joio conseguem enganar tão facilmente os bons brasileiros, afinal quando o disfarce de alguém não é muito bom, pode-se descrevê-lo como um disfarce transparente. Isso não quer dizer que a pessoa esteja usando material (vidro, plástico) transparente. Significa apenas que os outros conseguem ver através do disfarce — ou seja, o disfarce não os engana nem sequer por um instante.

Os órfãos Bonsbrasileiros perceberam na mesma hora que cada um desses seis disfarces: Marina, Alckmin, Haddad, Ciro, Meireles e Boulos, eram todos o líder Idéia, o molusco, e se qualquer um deles ganhar, o líder Idéia será solto e o caos se aprofundará.

Os órfãos Bonsbrasileiros, conversando com quem estava assistindo a TV disseram juntos:

 - Esses seis candidatos não são quem dizem, são, na verdade, um só, o líder Idéia.

O espectador olhou para eles da cabeça aos pés, e franziu a testa, e disse: 

– Avisaram-me que deveria ficar alerta para qualquer sinal da presença do líder Idéia, mas disse também que vocês, crianças, tinham uma tendência a vê-lo em toda parte.

 - Nós o vemos em toda parte, disse Olavo, aborrecido, - Porque ele está em toda parte, e vocês não percebem que ele está nas telenovelas que valorizam o bandido, que deturpam a formação da família, nas notícias direcionadas para violência gratuita, de notícias que fortalecem a divisão entre rico-pobre, negro-branco, homem-mulher, trabalhadores-empregadores, homo-hetero, nas pesquisas eleitorais suspeitas, nas perguntas combinadas entre os 6 candidatos da cobra de camadas de joio e os jornalistas que os defendem.

Os órfãos Bonsbrasileiros estão percebendo que ainda muitos bons brasileiros estão mordendo a isca.

Dizer que alguém morde a isca, com linha, anzol e tudo, é dizer que esse alguém acredita numa porção de mentiras e, em consequência, pode acabar em desgraça.

 - Não posso acreditar que vocês ousem duvidar da realidade, não conseguem ver que são 6 pessoas diferentes, inclusive uma é mulher e os outros 5 são homens, disse o espectador estupefado com o que acha que seja a ignorância dos órfãos.

 - Você não consegue enxergar o óbvio? E Eu que tenho problemas na vista, disse Olavo, apontando para os seus óculos.

- Agradeceria se você não fosse impertinente, disse o espectador, usando uma expressão que aqui quer dizer "ficasse me mostrando que estou errado, pois isso me aborrece".

- Além disso vocês não conseguem ler que está muito bem escrito que cada um pertence a partidos diferentes, está em todos os jornais, além do mais, esse candidato que representa os pais de vocês que tiraram do governo, esse militar Bolsonaro é contra as mulheres, os gays, os negros e todas as pessoas mais frágeis, é o que está sendo dito e escrito todos os dias em tudo, nos jornais, na TV, nas rádios, como vocês não percebem? Questionou de forma definitiva o espectador.

Espectador é uma palavra que significa aqui uma pessoa que só espera, só assiste, só absorve.

 - O fato de uma coisa estar impressa, ou dita —  em cartão, ou em jornal, ou em livro, ou num rádio ou na TV — não significa que essa coisa seja verdadeira. Retrucou Olavo.

 - Às vezes a melhor opção só percebemos quando já é tarde demais. Falou desanimada Violada.

As palavras morreram em sua garganta. As lágrimas são uma coisa curiosa, pois, assim como os terremotos e os camelôs, podem surgir em qualquer momento, sem nenhum aviso e sem um bom motivo.(LEMONY, 2001)

- Entendo que vocês três viveram experiências terríveis, mas espero que não deixem sua imaginação passar por cima do seu bom senso. (LEMONY, 2001)Falou o espectador sentindo pena, a mesma pena que faz com que vote no Líder Idéia, pensando que ele ajuda os vitimizados por ele mesmo.

Olavo, desolado, ficou pensando ainda que além dessa tramoia toda dos 6 candidatos serem na verdade o próprio molusco, o líder Idéia, eles ainda contam com uma provável manipulação dos votos na urna eletrônica descoberta pela professor de computação da Unicamp Diego Aranha, ele bem que tentou alertar na eleição passada, quando a boneca de ventrículo “ganhou” (ver em PUODZIUS), mas hoje, em 2018 ele foi embora para a Dinamarca e nós ficamos apenas com o ditado : “Há algo de podre no reino do molusco.”

 - O jeito é nós também sermos mais espertos que de costume, porque temos que convencer os bons brasileiros antes que seja tarde demais, disse Violada.

É possível que você já tenha percebido que o Brasil está sendo manipulado pela cobra de camadas de joio, e todas as suas forças, sociais e econômicas estão sendo sugadas pelas sanguessugas comunistas, mas para quem conhece o destino trágico dos órfãos Bonsbrasileiros até aqui, é provável que o nível piore, e o Brasil esteja vivendo um verdadeiro baixo astral e nem se dê conta, é o que pretendo revelar no próximo episódio 4 – O Baixo Astral.


REFERÊNCIAS

BARBOSA, Benê. Reinaldo Azevedo fala sobre armas e só há duas opções: ou é ignorante ou é mentiroso ! http://www.puggina.org/artigo/outrosAutores/reinaldo-azevedo-fala-sobre-armas-e-so-ha-dua/9424 . 2017.


 HALBROOK, Stephen P. Hitler e o Desarmamento. Vide Editorial, São Paulo, 2018. https://videeditorial.com.br/hitler-e-o-desarmamento .

.
HUXLEY, Aldous. Regresso ao admirável mundo novo. Ed.Hemus, São Paulo, 1959.

KLOSS, Marko. A arma é civilização. http://pelalegitimadefesa.org.br/nblog/?p=994. 2007.  

MISES BRASIL, Desarmamento e genocídio. www.mises.org.br/Article.aspx?id=1494 2013.


PLANO FÊNIX. Plano de Governo Bolsonaro. 2018. http://flaviobolsonaro.com/PLANO_DE_GOVERNO_JAIR_BOLSONARO_2018.pdf

PUODZIUS, Cassius. A (in)segurança das eleições foi um dos temas discutidos na Ekoparty. www.welivesecurity.com/br/2017/10/02/inseguranca-das-eleicoes/ . 2017.

SNICKET, Lemony. Desventuras em série – Livro 3. As sanguessugas. 1ª edição. São Paulo. Cia das Letras, 2001.

Nenhum comentário:

Postar um comentário